salvador-pelourinho1

Sala de Leitura – Preservação do Patrimônio


Conservar um patrimônio edificado e ao mesmo tempo manter a população moradora no local é uma discussão antiga. A preservação de centros históricos vem sendo discutida por especialistas ao longo dos anos e recebendo críticas, onde termos, como exclusão, gentrificação ou manutenção de simples cenários, são constantes.

Um exemplo sempre citado de boa prática é o caso do centro histórico de Bologna, na Itália, onde nos anos 1960, foi empreendida uma ação inovadora.

No processo de revitalização houve a preocupação de gerar renda para a população moradora, criando pequenos comércios no térreo dos edifícios, para serem gerenciados pelos moradores, enquanto que nos pavimentos superiores foram criadas habitações sociais.

Naqueles anos Pier Luigi Cervellati, responsável pelos trabalhos em Bologna, já dizia: “… não se pode definir uma política de ‘centro histórico’ autônoma a à margem da política econômica e territorial mais geral. Ou seja, aos aspectos da conservação e da valorização tem que se unir os fenômenos de natureza econômico-social, que constituem a realidade em que se está trabalhando.”

A crítica às revitalizações realizadas no Pelourinho em Salvador, por parte de especialistas, foram muitas e consistentes. Finalmente levaram a mudanças nas posturas frente a renovação de centros históricos, e hoje a construção de moradias sociais passou a ser prioridade.

O Programa Monumenta, por exemplo, passou a ter como condição para novos financiamentos que a população moradora participasse da discussão do projeto. Atualmente na continuidade do programa de renovação na área do Pelourinho isso está sendo feito.

E como estão outras ações desenvolvidas no país? Esta nova postura está sendo adotada? Em termos sociais o que vem sendo feito na renovação da Lapa (RJ) ou da Luz (SP)?

Sugestões para saber mais:

Intervenções urbanas em Salvador: turismo e “gentrificação” no processo de renovação urbana do Pelourinho – artigo de Eduardo Nobre

O coração da cidade: observações sobre a preservação dos centros históricos – artigo de Cristina Meneguello

A revitalização dos centros históricos das cidades brasileiras – artigo de Barbara Freitag

Vestindo a pele de cordeiro: requalificação versus gentrificação no Recife artigo de Cláudia Loureiro e Luiz Amorin

Carta de Veneza

Revisão do Programa Monumenta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s