Paisagismo/Landscape – Regent’s Park


O Regent Park é a maior área verde da área central de Londres, e oferece uma série de atrações e atividades, como um Teatro de Arena, o Zoológico de Londres e vários cafés e restaurantes.

A área com 197 hectares (incluindo Primrose Hill) de propriedade real, foi utilizada inicialmente como reserva para a caça da realeza, em especial por Henrique VII, que o considerava um revigorante anexo ao Palácio de Whitehall.

regent-park.jpg

planta do parque/Park map

The Regent’s Park, which covers 197 hectares (including Primrose Hill) is the largest grass area for sports in Central London and offers a wide variety of activities, as well as an Open Air Theatre, the London Zoo and many cafes and restaurants.

open-air-teatre.jpg
o teatro de arena/ open air theatre
photo on Flickr by Tagishsimon

Henry VIII appropriated The Regent’s Park for use as a hunting ground, which he considered to be an invigorating ride from Whitehall Palace

regents-park-bridge.jpg
photo on Flickr by mooseyscountrygarden.com

Foi John Nash, arquiteto da coroa e amigo do principe regente quem fez o projeto paisagístico desse parque, cujo traçado e disposição de vegetação não foi modificada sensivelmente até hoje.

regent.jpg
photo on Flickr by rkgprojects

O projeto do grande e arrendondado parque fez com que ele fosse cercado por mansões, um lago, um canal e 56 “casas de campo” para a nobreza (das quais somente 8 foram construídas) e uma outra casa para o princípe – um palácio de verão, que também nunca chegou a ser construído.

regents-park-duck.jpg
photo on Flickr by mooseyscountrygarden.com

It was John Nash, architect to the crown and friend of the Prince Regent who developed Regent’s Park as we know it today. A vast rounded park was defined by John Nash, surrounded by palatial terraces, a lake, a canal, 56 planned villas (only 8 were ever built) and a second home for the prince – a summer palace, which was never built.

islington_tunnel_050605.jpg
Islington Tunnel
photo on Flickr by wurzeller

No século 20 a principal modificação foi a criação em 1930 dos Queen Mary’s Gardens. Em relação às construções e monumentos existentes no parque, somente duas “casas de campo” – St John’s Lodge e The Holme, são parte da concepção inicial de John Nash.

triton-fountain.jpg
a fonte de Tritão/Triton Fountain
photo on Flickr by Przemmyslaw ‘Blue Shade’ Idzkiewicz

The main development in the 20th century was the creation, in the 1930s, of Queen Mary’s Gardens. Of the buildings and monuments within the park, only two villas, St John’s Lodge and The Holme, remain from John Nash’s original conception of the park.

mapa do parque/Park map: the_regents_park.pdf

O Regent’s Park é um precioso exemplar do jardim inglês, com maciços de vegetação plantadas de forma a criar uma idéia de “desordem natural”, de natureza, naquilo que é chamado de pinturesque garden. O exemplo diametramente oposto é o jardim francês do século XVIII e XIX, onde as aléias seguem linhas retas e as plantas são podadas de forma a criar um jardim onde a “natureza é domada”.

The Nash’s Regent’s Park is both a beautiful and a typical exemplar of a English garden, with its pinturesque aspects. The plants are disposed in a vague caotic arrange, instead the traditional French baroque garden, when the aisles have stright shape and the plants are cut down in animals or anything else shape.

Um pensamento sobre “Paisagismo/Landscape – Regent’s Park

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s