casa_musica_oma_220307_charliekoolhaas7

Arquitetura Contemporânea / Contemporary Architecture – Rem Koolhaas



photo by Nicolas Firkit

Em 2001 o Ministro da Cultura de Portugal e a cidade do Porto criaram o “Porto 2001”, uma organização com o objetivo de preparar diferentes intervenções urbanas e culturais na cidade do Porto. Nesse contexto 5 escritórios internacionais, um dos quais OMA, foram convidados a participar de um concurso para uma nova sala de concertos a ser construída no centro histórico da cidade, na Rotunda da Boa Vista. Uma vez que esta parte da cidade estava ainda intacta, OMA decidiu não fazer com que a nova sala de concertos fosse um segmento em menor escala do muro circular no entorno da Rotunda da Boavista, e sim criar um edifício isolado, colocado numa nova e mais íntima praça conectada com o parque histórico da Rotunda, e fechado por três edifícios. Assim nasceu a “Casa da Música“.

“A partir dessa intervenção de caráter duplo – continuidade e contraste, o parque da Rotunda da Boavista após nossa intervenção, tornou-se uma mera dobradiça entre o velho e o novo Porto, mas isso tormou-se um encontro positivo de dois diferentes modelos de cidade.” (Rem Koolhaas)

photo by Nicolas Firkit

After Porto was selected one of the two cultural capitals of Europe in 2001, the Minister of Culture and the city of Porto founded Porto 2001, an organisation which was to initiate and prepare different urban and cultural interventions for the city of Porto. In this context five international architectural practices, amongst which was OMA, were invited to participate in a restricted competition for a new concert hall to be positioned in the historical centre of Porto, the Rotunda da Boavista.

Since this part of Porto was still a city ‘’intact’’, OMA chose not to articulate the new concert hall as a segment of a small scale circular wall around the Rotunda da Boavista but to create a solitary building standing on the new, more intimate square connected to the historical park of the Rotunda da Boavista and enclosed by three urban blocks. In that way was founded the “Casa da Música“.

“Through both continuity and contrast, the park on the Rotunda da Boavista, after our intervention, is no longer a mere hinge between the old and the new Porto, but it becomes a positive encounter of two different models of the city.” (Rem Koolhaas)


photo by Phillipe Ruault

O Escritório para Arquitetura Metropolitana (OMA – iniciais em inglês) desenvolve parcerias internacionais para o desenvolvimento de arquitetura contemporânea, urbanismo e análise cultural. O escritório é dirigido pelos sócios – Rem Koolhaas, Ole Scheeren, Ellen van Loon, Reiner de Graaf, Floris Alkemade, Shohei Shigematsu e o sócio gerente Victor van der Chijs, e emprega quase 300 profissionais de 35 países. Arquitetos, pesquisadores, projetistas, desenvolvedores de maquetes, desenhistas industriais e desenhistas gráficos de origem multinacional trabalham em estreita colaboração.


foto no “A barriga do arquiteto” website

The Office for Metropolitan Architecture (OMA) is a leading international partnership practicing contemporary architecture, urbanism, and cultural analysis. The office is led by partners – Rem Koolhaas, Ole Scheeren, Ellen van Loon, Reinier de Graaf, Floris Alkemade, Shohei Shigematsu and Managing Partner, Victor van der Chijs – and employs a staff of almost 300 of more than 35 nationalities. Architects, researchers, designers, model makers, industrial designers and graphic designers of multinational origin work in close collaboration.


photo by Charlie Koolhaas

“Este século viu uma tentativa frenética da arquitetura de escapar da tirania do notório formato “caixa de sapato” para as salas de concerto. Contudo, após pesquisarmos as qualidades acústicas das salas de concerto existentes nós tivemos que concluir junto com nosso especialista de que as melhores salas do mundo tem a forma de “caixa de sapato”.
Isso nos deixou com a pergunta:
Onde inovar no caso de uma tipologia tradicional como uma sala de concertos?” (Rem Koolhaas)


photo no “A barriga do arquiteto” website

“This century has seen an architecturally frantic attempt to escape from the tyranny of the notorious ‘’shoe-box’’ shaped concert hall. However, after researching the acoustic quality of existing concert halls we had to conclude together with our acoustic specialist that the best halls in the world have a shoe box shape.
This left us with the questions:
Where to innovate in a case of a traditional typology like the concert hall?” (Rem Koolhaas)

photo by Nicolas Firket


photo by Nicolas Firket

“A maioria das instituições culturais serve somente a uma parte da população. A maioria conhece seu formato externo e só uma minoria conhece se formato interno. O edifício revela seu interior à cidade sem ser didático, e ao mesmo tempo a cidade é exposta ao público em seu interior de uma forma que nunca aconteceu anteriormente. Os “espaços que sobram” entre os destinados às funções públicas consistem em espaços secundários de serviços, como foyers, restaurante, terraço, espaços técnicos e para transporte vertical.” (Rem Koolhaas)


photo by Charlie Koolhaas


photo by Charles Peronnin

“Most cultural institutions serve only part of a population. A majority knows their exterior shape, only a minority knows what happens inside. The building reveals its contents to the city without being didactic; at the same time the city is exposed to the public inside in a way that has never happened before. The ‘’remaining spaces’’ between the exposed public functions consist of secondary serving spaces such as foyers, a restaurant, terraces, technical spaces and vertical transport.” (Rem Koolhaas)


photo by Nicolas Firket


photo by Nicolas Firket


photo by Charlie Koolhaas

Uma rota pública continua conecta todas as funções públicas e “os espaços que sobram” situados ao redor do Grande Auditório além de escadas, plataformas e elevadores: o edifício torna-se uma grande aventura. Durante a fase de projeto o OMA pesquisou novos materiais e novas aplicações para os existentes e para os tipicamente portugueses exclusivamente para a Casa da Música como o vidro ondulado para as janelas do pequeno auditório, os ladrilhos (azulejos) usados nas diferentes salas e as cadeiras, e o dossel e revestimento das paredes no Grande Auditório.


photo by Charlie Koolhaas


photo by Nicolas Firket

A continuous public route connects all public functions and “remaining spaces” located around the Grand Auditorium by means of stairs, platforms and escalators: the building becomes an architectural adventure. During the Design Phase OMA researched new materials and new applications of existing and Portuguese materials exclusively for Casa da Musica such as; the corrugated glass for the windows of the Auditoria, the used tiles for different rooms and the chairs, canopy and wall finish in the Grand Auditorium.


photo by Charlie Koolhaas

para ler um pouco mais sobre a Casa da Música / to read a bit more about Casa da Música:

Rem Koolhaas/OMA – Casa da Música – em português/ in portuguese

sobre Rem Koolhaas / about Rem Koolhas:

Who is Rem Koolhaas? em inglês / in English

Descontruindo Koolhaas part 1 de Clarissa Moreira – em Português / in Portuguese

Um pensamento sobre “Arquitetura Contemporânea / Contemporary Architecture – Rem Koolhaas

  1. Encantada,maravilhada com tão bela arquitetura ,que expressa o essencial de uma maneira sutil, clara inteligente e límpida !Parabens ao arquiteto ! Isso sim é que é Arquitetura.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s