pavilhão do cambodja

Exposição Universal de 1900 em Paris


vista paris + tour eiffelA torre Eiffel e o recinto da exposição

A Exposição Universal de 1900 em Paris foi inaugurada em 14 de Abril e recebeu nos sete meses em que esteve aberta 50,8 milhões de visitantes. Edificada no Campo de Marte a exposição ocupava uma área gigantesca, com pavilhões nacionais e temáticos, exibindo produtos das várias nações, como metalurgia e indústrias de madeira e têxtil de países como Russia, Japão, Itália e Hungria. A exposição também fazia a propaganda da ação “civilizatória” que países como França, Inglaterra e Holanda, tinham em suas colônias: Tunísia, Argélia, Daomé (hoje Benin), Indochina, Madagascar, Sudão, Índia, Indonésia e Transvaal.

inauguração da exposiçãoinauguração da exposição

Inaugurada a Exposição Universal de Paris pelo Presidente francês Emile Loubet. A exposição apresentou as novas conquistas tecnológicas do progresso e uma evocação das mais recentes evoluções técnicas e culturais. Edificada no Campo de Marte, a Exposição de 1900, que esteve aberta durante sete meses, a área da feira abrangia 108 hectares, entre o Champ-de-Mars, os Invalides, o Trocadéro e os Champs Élysées a que se juntariam dois anexos fora de Paris: Vincennes e Billancourt, onde foram construídos grandes pavilhões nacionais e temáticos, que exibiam a novidade da electrificação e em que a construção em ferro ocupava um lugar chave – a que não era alheio o gigantismo da Torre Eiffel, construída dez anos antes.Para edificar as construções francesas foi escolhido o engenheiro Alfred Picard, nomeado comissário-geral.

planta da área de exposiçãoplanta de parte da área da exposição

Na verdade a exposição pretendia fazer o balanço de um século que progrediu enormemente nas ciências e indústria e reafirmar a liderança de Paris nas Artes e Civilização. Exibindo produtos das nações industrializadas e, também, da metalurgia e das indústrias de madeira e têxtil de países como a Rússia, o Japão, a Itália e a Hungria, a Exposição dedicava especial atenção à celebração da “acção civilizadora” da França, da Inglaterra e da Holanda em colónias como a Tunísia, Argélia, Daomé, Indochina (região que abrangia países asiáticos como Vietnã, Laos, Cambodja, etc), Madagascar, Sudão, Índia, Indonésia e Transvaal (república sul africana que ocupava parte do que é hoje a África do Sul).

Tour Eiffel e globo celeste

As principais atrações da exposição eram os novos meios de transporte (uma esteira rolante denominada “Rua do Futuro”, a inauguração da primeira linha de metrô de Paris – Porte de Vincennes-Porte Maillot, aberta para a exposição, as novas estações de trem – D’Orsay, Invalides e Lyon), a fonte luminosa e o uso pela primeira vez da eletricidade para iluminar os ambientes externos, a projeção dos filmes dos Irmãos Lumière, a construção dos Petit e Grand Palais, além dos jogos olímpicos de 1900 que foram organizados durante a exposição.

entrada principalentrada principal da exposição

Ao mesmo tempo em que se inaugurava o Metropolitano de Paris, celebrava-se a Arte Nova que, no seu apogeu, foi um dos elementos decorativos do evento. O sistema burguês mostrava-se pujante, tecnologicamente avançado e detentor de um sistema colonial grande e lucrativo.
cais das naçõeso cais das nações

Como curiosidade refira-se que alguns dos monumentos resultantes de exposições anteriores estavam em perigo: o Palácio do Trocadéro, da Exposição de 1878, salvou-se porque foi transformado em Museu de Etnografia e de Escultura Comparada. A Torre Eiffel, da Exposição de 1889, foi objecto de um projecto que a pretendia substituir por dois magníficos elefantes cujas trombas se juntavam na parte superior, com dois elevadores instalados nas respectivas patas para fazer subir os visitantes até aos 100 metros de altura.

palácio da eletricidade e chateau da águaPalácio da Eletricidade e Chateau d’água

Palácio da eletricidade

interior do Palácio da Eletricidade

palácio da óticaPalácio da Ótica

palácio da horticultura

interior do Palácio da Horticultura

seção de agricultura

Seção de Agricultura

palácio da luz

Palácio da Luz

Palácio da metalurgia e das Minas

Interior Palácio da Metalurgia e das Minas

pavilhões na esplanada dos inválidos invalides

Pavilhões na Esplanada dos Inválidos

pavilhão alemão

Pavilhão Alemão

pavilhão alemão porcelana real

interior do Pavilhão Alemão – fábrica real de porcelana

pavilho alemão marinhaPavilhão alemão – Marinha

pavilhão belga

Pavilhão Belga

pavilhão da austria interior

Interior do Pavilhão da Austria

pavilhão do Sião

Pavilhão do Sião ( atual Tailândia)

pavilhão tunisiano

Pavilhão da Tunisia

pavilhão americano

Pavilhão dos Estados Unidos

pavilhão da bósnia herzegovina

Pavilhão da Bósnia – Herzegovina

pavilhão turco

Pavilhão Turco

pavilhão da indochina

Pavilhão da Indochina

pavilhão italiano

Pavilhão da Itália

Torre da Giralda de sevilha

Torre Giralda de Sevilha

pavilhão argelinoPavilhão da Argélia

pavilhão das ilhas holandesas

Pavilhão das Ilhas Holandesas

pavilhão russo

Pavilhão Russo

pavilhão do cambodjaPavilhão do Cambodja

Essas fotos eu recebi por email sem créditos de autor e de coloração


8 pensamentos sobre “Exposição Universal de 1900 em Paris

  1. ‘Cain’ do Mestre Teixeira Lopes ganhou neste evento o 1º prémio de escultura. Aclamado mundialmente. Talvez o mais prestigiante prémio cultural adquirido por um português.

  2. Muito me impressionou estas imagens. Imagino essa época onde tudo era praticamente descoberto e já contávamos com magnificas obras de arte. Parabens a esta coleção de imagens de muito bom gosto.

  3. Muito bom,para nós alunos de 8° série, que agora vamos trabalhar nas aulas de história………..

  4. Estou compondo uma história (de época) e apreciaria detalhes sobre a Exposição Mundial de 1900. Também necessito de dados sobre a sociedade do motor à diesel, localizada em bar-le-duc.
    Apreciaria dados sobre a participação de brasileiros da referida exposição.

  5. A Expo 1900 de Paris fez parte de uma onda gigantesca de optimismo e crença no carácter pacífico das nações civilizadas dirigidas por regimes mais ou menos liberais constitucionais e por homens racionais que nunca se iriam matar uns aos outros aos milhões. Toda a gente acreditava num Século XX de prosperidade e Paz. Infelizmente não foi isso que sucede; em 1904 rebenta a guerra russo-japonesa e 1914 dá-se a mais mortífera das guerras que a Humanidade conheceu. Os senhores educados e civilizados que dirigiam as nações mobilizaram milhões de jovens inocentes e atiraram-nos para os campos de batalha e trincheiras onde foram obrigados a suicidarem-se mutuamente. Só a batalha de Vedrdun custou mais de um milhão de vidas.
    E depois não aprenderam nada, repetiram os mesmos erros em 1939-1945.
    Enfim, a Europa só conheceu uma contingentada “belle époque” a partir de 1950 com as principais economias a crescerem a mais de 7% ao ano e as classes operários a verem a sua vida melhorada.
    Hoje, a Europa inventou a sua unidade relativa que nos permite atravessar uma crise típica do capitalismo sem uma grande desgraça.

  6. Bom apanhado geral da exposição, a mostra de imagens favorece sempre a exposição do tema.

  7. Nessa exposição estiveram presentes O Sr Conde de Serra Negra e a Sra Condessa de Serra Negra, grandes proprietarios de terras na cidade de Botucatu SP. Na ocasião alguns quadros da Fazenda Villa Victoria (Botucatu Vitoriana), de Antonio Ferrigno ocuparam um espaço destinado ao café brasileiro. Para o turismo de Botucatu esse fato é muito importante venham para a nossa cidade e conheçam os lugares onde isso aconteceu.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s