HIGH LANE

Visitando o Parque da High Line


HIGH LINE FLORES

Estive em Nova York agora em Junho e visitei o trecho aberto ao público do Parque da High Line em um sábado. Aberto há apenas uma semana, o parque se transformou numa das grandes atrações turísticas de Nova York, e naquela manhã meio feia e chuvosa (o sol abriu por um pequeno período) estava sendo visitado por milhares de pessoas, a maioria americanos jovens (casais com crianças, grupos de amigos), mas também por arquitetos, paisagistas e fotógrafos de várias partes do mundo. A babel de línguas em alguns trechos imperava.

HIGH LINE

O parque está aberto num pequeno trecho, entre as Rua Gansevoort em West Greenwich Village e Rua 20, no Chelsea. Por ser um parque suspenso, implantado na antiga estrada de ferro elevada de Nova York – a High Line – além da possibilidade de você se encantar com a vegetação, com as pessoas que caminham no parque e toda aquela atmosfera um pouco de festa, tem-se a possibilidade de em alguns lugares ter-se uma bela visão do Rio Hudson, das docas e de Nova Jersey, além de algumas vistas pitorescas dos bairros que o parque atravessa.

HIGH LINE VISTA DO RIO HUDSONvista da Rua 13 a partir do Parque – ao fundo o Rio Hudson

O entorno próximo da High Line não faz parte do circuito esfuziante de restaurantes, bares e galerias de arte de Greenwich Village ou do Chelsea. Ainda temos velhos armazéns, alguns prédios de moradias mais populares (bem isso é o conceito de moradia popular em Manhattan, que não tem nada a ver com o nosso aqui no Brasil, lá esses são os locais de moradia de jovens casais de classe média e estudantes), e poucos locais de estar. Mas isso poderá mudar rapidamente, principalmente se o afluxo de turistas continuar tão grande.

GREENWICH VISTO DO hlEdifício na esquina da Rua Washington com a Gansevoort, ao lado da High Line

O parque em si, enquanto vegetação, ainda é bem pobre. A vegetação rasteira, não foi trabalhada paisagisticamente, simplesmente se deixou crescer algo que podemos chamar de “mato” (uma vegetação mais rústica e melhor adaptada a situações de clima mais extremas) foi em alguns trechos complementada com algumas árvores, mas estas ainda são mudas frágeis e alguns anos terão que passar até que o parque comece a mostrar o aspecto projetado por seus idealizadores.

HIGH LINE (14)vegetação ainda jovem e detalhe do piso do parque – pranchas de madeira com espaço para o crescimento da vegetação e pedrisco para dar sustentação à vegetação rasteira

HIGH LINE (2)vegetação rasteira mais rústica

O acesso ao parque é feito por escadas. Pelo menos por enquanto não existe acesso universal, nem banheiros públicos ou lanchonetes.

HIGH LINE ACESSOacesso ao parque

Iniciou-se já uma setorização do parque para usos diferenciados. Se em todo trajeto ao longo do parque existem alguns bancos para descanço, num local onde a largura do parque é maior foram dispostas “long-chairs”, e ali tem-se um local de descanço mas principalmente um solário, que estava sendo aproveitado de forma intensa no ainda fraco verão novaiorquino.

HIGH LINE CHAISE LONGo “solário”

Próximo da Rua 20, outra área de descanço, esta ao longo da borda do parque voltado para o Rio Hudson. Esta área mais concentrada, tem uma arranjo de cadeiras e bancos voltado para a conversa, a confraternização de grupos e a apreciação do rio.

HIGH LINE (3)trecho próximo à Rua 20

O parque é sem dúvida um presente para os moradores da vizinhança, um presente deles para eles mesmos, uma vez que o parque está sendo implantado por uma associação de moradores, os Amigos da High Line. Espero que no futuro seja mais um daqueles locais/praças/parques de Nova York, com vegetação exuberante e habitado por alguns animaizinhos selvagens, como os esquilos e os pássaros. Por enquanto é somente o exemplo do cuidado e perseverança da comunidade em transformar estruturas agressivas em locais de convívio e lazer.

Um exemplo para nos inspirarmos, e quem sabe forçar a Prefeitura a fazer o mesmo com aquele monstrengo que atravessa nosso centro da cidade, e que chamamos ironicamente de “minhocão”. E se você for a Nova York, visite a High Line, será mais um que voltará catequizado, tenho certeza, pela necessidade de fazermos de nossas cidades, de nossos espaços abertos, locais de confraternização e convívio.

HIGH LINE (22)Vista do Parque da Rua Washington, quase esquina com a Gansevoort

HIGH LINE (21)final do ramal da High Line na Gansevoort que faz do local um belvedere do Greenwich Village

HIGH LINE (11)vista do Rio Hudson e de Nova Jersey a partir do parque

HIGH LINE (8)como a High Line passava em baixo de prédios, o parque agora ocupa esses espaços, criando áreas de sombra para os dias quentes

HIGH LANEa ponte leva à entrada pela rua 20 e ao fundo vê-se o bairro do Chelsea

Para ler mais sobre a High Line aqui no The Urban Earth clique nas matérias abaixo.

O Parque da High Line em Nova York

Urbanismo – O Projeto da High Line em Nova York

2 pensamentos sobre “Visitando o Parque da High Line

  1. Cecília, estava aguardando ansiosamente o post sobre a High Line. Incrível!!! Imagina se um dia o minhocão fica verde assim, que qualidade a cidade irá ganhar??? Pena que aqui não se investe nessas coisas. Acho um descaso burro. Qualquer administrador que fizer uma intervenção dessas fica mundialmente conhecido – e nem assim, por puro interesse, eles se animam…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s