Fim de Semana – As coloridas placas na entrada dos Pubs ingleses


(Tradução do post publicado em Dark Roasted Blend em 26/07/09 / translated of the 07/26/09 published post on Dark Roasted Blend)

Boas placas podem ajudá-lo a lembrar quais pubs você visitou, o que você fez lá e como retornar

Todos amam a idéia de um pub caseiro, com seu revestimento em madeira escura e lareira amigável, ainda que tenha havido um declínio do pub tradicional inglês nos últimos anos. Contudo, os pubs e suas características placas de entrada vem sendo citados como uma das coisas que as pessoas gostariam de ver preservadas em nosso mundo em constante mudança.


(imagens via 1, 2, 3)



(imagens via 1, 2, 3, 4)

Contar a história de uma placa de um Pub talvez seja uma das maneiras mais seguras de iniciar uma conversa

As coloridas placas dos pubs britânicos falam muito sobre a colorida história do país, além de serem elementos para o seu folclore, heráldica e costumes sociais. Os Pubs nunca são denominados por algo que não faça sentido e cada denominação normalmente tem uma estória por trás dela. A arte das placas dos Pubs é inspirada em signos da nobreza e da nobiliárquica, religião e igreja, heróis militares e batalhas, invasões e comércio, mitos e lendas, atividades esportivas e conquistas passadas importantes, além de milhares de outras inspirações deste tipo.


A placa conta a história de uma pedra das redondezas. Nela há um buraco em que você pode assoprar …. por farra? (imagens via 1, 2)

Em 2007, os 10 nomes mais populares para batizar pubs na Grã-Bretanha eram Crown (704) Red Lion (668) Royal Oak (541) Swan (451) White Hart (431) Railway (420) Plough (413) White Horse (379) Bell (378) New Inn (372). Este artigo não tem a intenção de mencionar cada pub na Grã-Bretanha, ou cada um dos nomes usuais, mas sim falar um pouco da história das placas dos pubs, as histórias por trás delas e mostrar alguns nomes interessantes que eu descobri em minha pesquisa.


(imagens via 1, 2)

Os Romanos foram os primeiros que em 43 AC criaram o conceito básico de Pub. Em Roma, era tradição dos proprietários de terra colocar ramos de parreira pendurado na porta do lado de fora dos locais onde se vendia vinho. Contudo, como não havia parreiras na Bretanha, eles colocavam qualquer tipo de folhagem sobre as portas e ainda existem vários Pubs na Inglaterra chamados de Ramo (Bush) ou Ramo Sagrado (Holly Bush). Os Romanos construíram uma extensa rede de estradas para as suas enumeráveis tropas que ficavam circulando pelo país, e nessas estradas eles criaram pontos de parada. Algumas estradas atuais utilizam as rotas dessas antigas estradas, e assim é bastante plausível que alguns locais de pouso estejam no mesmo local desde a época romana.

“Sim, a velha viagem para Jerusalém” (Ye Olde Trip to Jerusalem) começa com um copo de cerveja

No século 12, as pessoas viajavam pelo país visitando cidades com catedrais em peregrinação, como por exemplo a  tumba de Thomas Beckett em Canterbury. Os peregrinos nas lendas de Cantebury começam suas jornadas na Tabard, um pouso real em Londres. Outros pousos e tavernas atendiam peregrinos e cruzados em seus caminhos para a Terra Sagrada. Ye Olde Trip to Jerusalem, fundada em 1189, anuncia que é o mais velho Pub da Inglaterra, e suas adegas são cavadas nas pedras sob o Castelo de Nottingham.


(imagens via 1, 2)

Pubs que tem nomes com o mesmo tema são o Saracen’s Head (Cabeça Sarracena) e o Lamb and Flag (Carneiro e Bandeira), a bandeira representa os Cruzados, e Jesus é o carneiro. Outro nome que se refere ao período medieval é o pub Magna Carta (Carta Magna) em Lincoln. O Bispo de Lincoln foi um dos signatários do famoso documento em 1215 e por séculos uma cópia dele foi exibida na catedral, antes de ser colocada numa vitrine no castelo de Lincoln.


(imagens via 1, 2)

Muito depois da era dos peregrinos e dos cavaleiros cruzados, viajantes deram novamente o ímpeto a denominação de pubs. No século 18, locais para pouso com cocheiras foram fundadas com nomes como Coach and Horses (Cama e Cavalos), Farrier’Arms (Faz-se Ferraduras) ou Horse and Groom (Cavalo e Cuidados para Cavalos) e quando a Revolução Industrial aconteceu, canais foram abertos para transportar mercadorias e materiais de construção, levando a abertura de pubs com os nomes de Waterway (hidrovia) ou Navigation (Navegação). Em meados do século 19, com o crescimento da rede de ferrovias, muitas cidades do país tiveram pubs com algum tipo de relação com os trens, como o Railway Arms (Ramais Ferroviários) ou o Station Hotel (Hotel da Estação)



(imagens via 1, 2, 3, 4)

Nomes de Pubs como os conhecemos hoje originaram-se de uma Lei Real em 1393, quando Ricardo II declarou que “quem quiser fazer cerveja na cidade com a intenção de vendê-las deve colocar uma placa suspensa do lado de fora, do contrário ele perderá o direito a sua cerveja”. Uma vez que a maioria da população nesta época era analfabeta, as placas tinham imagens que, ao invés de palavras, eram usadas para fazer a propaganda da qualidade da cerveja.

Quase no paraíso, servem-se cervejas paradisíacas

As primeiras imagens eram provavelmente baseadas em vitrais comuns em igrejas e catedrais, e dessa forma imagens de anjos, santos, da arca de Noé e outros símbolos religiosos são facilmente reconhecidos.


(imagens via 1, 2)

Contudo as coisa mudaram no século 16 com a Reforma Protestante, com a dissolução dos monastérios. Os proprietários dos Pubs espertamente mudaram seus nomes para mostrar concordância com o Rei, e renomearam-nos de Kings Arms (O Exército do Rei) ou King’s Head (A cabeça do Rei), enquanto outros eliminavam qualquer relação com o catolicismo. St Peter (São Pedro), o guardião dos portões celestes, tornou-se o Crossed Keys (Chaves Cruzadas) e algum Arca de Noé tornou-se Ships (barco), e contudo é obvio que estabelecimentos localizados nas cidades costeiras tiveram nomes com nomes náuticos por razões diferentes. Henrique VIII também redistribuiu as terras da igreja, e distribuiu títulos de nobreza para os novos donos, e estes renomearam seus pubs com os nomes das famílias que agora eram o novo poder da área, e assim apareceram os pubs Duke of Sussex (Duque de Sussex) ou o Devereaux, nomeado depois de Earls of Essex (Conde de Essex)


(imagens via 1, 2, 3)

Nomes religiosos sobreviveram em alguns casos e placas mostrando sinos em uma forma ou outra podem ainda ser vistos na Grã-Bretanha. Ainda que São Jorge (St George) e sua luta com o dragão tenha claramente origem religiosa, São Jorge é o santo padroeiro da Inglaterra e dessa forma é considerado mais como um símbolo de patriotismo do que uma relação com a igreja católica.


(imagens via 1, 2)

A presença de símbolos da realeza também aparecem maciçamente nas placas, como retratos de reis ou outros itens semelhantes, como coroas, armaduras ou símbolos heráldicos etc. O Rising Sun (Sol Nascente), por exemplo, era o dístico de Eduardo III. O White Hart (Cervo Branco) era o dístico de Ricardo II, o primeiro que decretou que os Pubs deviam ter placas do lado de fora, e dessa forma não surpreende que White Hart seja um dos nomes mais populares. O Red Lion (Leão Vermelho) é também um nome comum na Grã-Bretanha, e é também um dos símbolos da Escócia e este popular nome de pubs teve sua origem no Rei James I em sua ascensão ao trono da Inglaterra em 1603.


(imagens via 1, 2, 3)

A original estória por trás do Blue Boar (javali azul – imagem do meio acima) é um pouco forçada, mas é dito que ela se refere ao Conde de Oxford, que esteve no Exército de Henrique Tudor na Batalha de Bosworth. Ricardo III, que foi morto na batalha, usava um  javali branco como emblema e a lenda diz que depois que o rei estava morto, todos os pubs “javali branco” tiveram suas placas rapidamente pintadas de azul, para demonstrar lealdade ao novo regime. Muito difícil de provar depois de todo esse tempo, é claro, mas é uma lenda interessante.

A Rosa e a Coroa (Rose and Crown) também tem sua origem na história real, mas existem duas teorias sobre sua origem. A primeira a relaciona com a casa de Lancaster, simbolizada pela rosa vermelha, e pela casa de York, que usava a rosa branca, para controlar a coroa britânica. A segunda teoria a relaciona ao casamento, que de fato terminou com a rivalidade entre as casas de Lancaster e York, quando na vitória da batalha de Bosworth em 1485, Henry Tudor, casado com Elizabeth de York, reuniu os vários ramos da família real e fundou a dinastia Tudor.


(imagens via 1, 2, 3)

Carlos II é a inspiração para os pubs denominados Royal Oak (real oak – veja acima), que normalmente é mostrado em uma pintura de uma árvore com uma coroa deixada nos ramos. Após a guerra civil, o futuro rei tomou o caminho do parlamento e ele pode ser visto na frente dos ramos da árvore oak.

A Cabeça do Rei irá desaprová-lo, se você ficar muito bêbado

A Cabeça do Rei (King’s Head) é um nome popular de pubs e muitos monarcas diferentes podem ser vistos nas placas. Em 1714, a era da Casa de Hanover começou na Inglaterra e daí até 1830, houveram 4 reis chamados George, o que justifica o enorme número de pubs chamados assim na Inglaterra. A imagem a direita – você está prestando atenção?- mostra Jimi Hendrix, uma variação moderna da idéia de Cabeça do Rei.


(imagens via 1, 2, 3)

Ainda que a Inglaterra tenha tido muito menos Rainhas do que Reis em sua história, rainhas também aparecem nos nomes dos pubs, como as muito conhecidas monarcas Elizabeth I e Victoria (também Princípe Albert, o amado marido de Victoria, tem pubs com o seu nome).

O diferente desenho que parece com um grande selo postal é de fato baseado no penny black, o primeiro selo postal adesivo, fabricado na Grã-Bretanha em 1840.


(imagens via 1, 2)

Esportes de vários tipos também são freqüentemente representados nas placas dos pubs, como Cricketer’s Arms (Esquadrão de Cricket) ou Angler’s Rest (Descanço de Pescadores) mais recentemente, e nomes como Greyhound (perdigueiro cinza), Dog and Duck (cachorro e pato), Fox and Hounds (fox e perdigueiro) e o Bird on Hand (pássaro na mão), os quais mostram a caça desde distantes épocas. Placas como essas normalmente fazem propaganda do divertimento que oferecem para a maioria da população analfabeta.


(imagens via 1, 2)

O Bear (Urso) ou Bear and Ragged Staff,  é uma referencia a caça dos ursos, mas também está relacionado com a nobre família Neville e com Warwick o criador de reis. Muitos pubs com touro no nome tinham brigas de touro e a palavra galo na placa informava que clientes do pub ofereciam brigas de galo. Contudo, um pub denominado Cock and Bottle (Galo e Garrafa) não tem nada a ver com briga de galos, mas simplesmente mostra que garrafas ou copos de cerveja podem ser comprados, o cock (galo) é referencia a tampa da garrafa.


(imagens via 1, 2)

Alguns pubs foram denominado pela principal função econômica da região, assim Golden Fleece (Cordeiro de Ouro), uma óbvia referência à mitologia, mas também faz referência ao comércio de lã. Outras profissões presentes em nomes e placas de pubs são bricklayers (pedreiros), plumbers (encanadores), carpenters (marceneiros), blacksmiths (ferreiros) e outros. Pubs podem ser local de encontros para vendedores e normalmente servem como um escritório de negócios.


(imagens via 1, 2, 3)

Veja o outro o outro artigo sobre os Pubs britânicos – parte 2 – chegando logo no Dark Roasted Blend.


(crédito imagem a direita: Cory Doctorow)

3 pensamentos sobre “Fim de Semana – As coloridas placas na entrada dos Pubs ingleses

  1. Oi Cecilia, amei essa matéria. Estou procurando informações e materiais para fazer um pub em casa, para a família e os amigos que me visitarem. Essa matéria me ajudará muito. Muito obrigado

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s