Floods-victims-in-central-019

Mudança Climática – sintonizando Copenhague


Lá em Copenhague estão decidindo com o que os países vão se comprometer, em termos de corte de emissões de carbono nos próximos anos. Enquanto eles discutem, a população mundial faz manifestações, se mobiliza, publica artigos, fotos, etc, discute na web e até reza. Vou trazer aqui esta semana algumas coisas que rolam na web sobre meio ambiente.

Achei no site do The Guardian essas fotos do fotógrafo inglês Martin Parr, sobre as constantes inundações e tufões que tem acontecido no Vietnã, cuja freqüência vem sendo associada à mudança do clima.  São fotos das pessoas que vem sofrendo essas catástrofes. As fotos foram tiradas para a Oxfam, na provícia de Quang Tri, onde as pessoas estão se endividando para refazer suas plantações, consertar suas casas e conseguir enviar seus filhos para a escola.

Nguyen Thi Diu, 58, segura sua identidade, que ela conseguiu salvar da inundação que destruiu sua vila – Hung Nhon, na comunidade de Hai Hoa.

“Eu perdi tudo nas 99 inundações e agora tudo que eu tenho é minha identidade. Meu marido morreu em 1973, meus dois filhos mudaram-se daqui mas estão desempregados. Eu preciso dessa identidade para receber o dinheiro que eles me mandam, que é muito pouco.”

picture of martin parr

Nguyen Thi Hoa (28), com sua mãe e seus filhos, incluindo o bebê Vo Phuong Thuy, mostra a cama suspensa em que eles vivem durante as inundações na vila Hoi Dien, na comunidade Hai Hoa.

” Durante as inundações eu mantive a comida, duas panelas, vegetais, combustível nesta cama… Mas nada é muito precioso, eu sou muito pobre.”

Após as inundações destruirem sua casa e plantação de arroz, a família fez um empréstimo para reconstruir a vida. O marido de Hoa foi obrigado a procurar um emprego em Hanoi.

“Eu não sei como vou pagar a dívida – eu só tenho o dinheiro que meu marido ganha. Eu senti muito ele ter ido atrás de emprego em Hanói. Ele pode ficar lá por muito tempo e eu não vou conseguir vê-lo.”

Picture of Martin Parr

A família de  Ba Hoang Kha (72) e sua filha Hoang Thi Lieu (37) olham de cima do alto tablado em sua casa, onde eles vivem nos dias em que as inundações acontecem em Trung Don,  na comunidade de Hai Thanh. Kha:

“Quando as inundações chegam eu pego tudo – arroz, roupas, panelas – e coloco na plataforma, e não há muito espaço, nós não podemos deitas, somente ficar sentados. Nós ficamos aqui por 5 dias nas últimas inundações e nós não temos eletricidade.”

Picture of Martin Parr

Barcos de pesca na praia, na vila My Thuy, comunidade de  Hai An.

Picture of Martin Parr

Phan Thai Hung (46) tira carangueijos de sua rede de pesca, na vila de My Thuy, comunidade de Hai An. Os pescadores dizem que as tempestades e os tufões estão ficando mais fortes e mais frequentes, tornando difícil sobreviver da pesca.

“A pesca não consegue prover recursos suficientes para minha família viver, portanto eu estou tendo que viver com pouco dinheiro. As tempestades acontecem cada vez mais frequentemente – no passado havia uma cada 5 ou 7 anos, mas agora elas acontecem todos os anos. Minha esposa está cultivando vegetais e criando galinhas e patos em casa, para que nós possamos aumentar nossa renda.”

Picture of Martin Parr

Le Hoai Thuong (56) com seu detector de metal, na vila Con Tau, na comunidade de Hai Son. Como as plantações de arroz foram repetidamente arrasadas pelas inundações, as pessoas buscaram outras alternativas para ganhar dinheiro. Thuong procura por minas não explodidas na selva, arriscando sua vida por granadas e bombas que ele pode vender como refugo de metal.

Moradores tomam um drink no almoço, em Hai Lang.

Para ver mais fotos clique aqui

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s