the-trees

Astana – a capital do Casaquistão


foto de Antoine Lambroschini/AFP/Getty Images

Astana, que já se chamou Akmola (até 1998), Tselinograd (até 1992) e Akmolinsk (até 1961) é a capital do Casaquistão e a segunda maior cidade do pais, com uma população estimada em 690 mil habitantes. A cidade fica no centro da estepe do casaquistão, e é uma das cidades mais frias do mundo, mas torná-la capital foi uma estratégia do governo, de um lado para sair da antiga capital ( em Almaty) que está sujeita à abalos sísmicos, de outro para levar a influência casaque para um local onde a cultura e a língua russa ainda são dominantes.

A parte nova da cidade foi projetada pelo arquiteto japonês Kisho Kurokawa, um dos fundadores do movimento metabolista no Japão. O plano, de uma grande cidade jardim, tem como horizonte o ano de 2030, onde se prevê que a cidade deverá então abrigar cerca de 1 milhão de habitantes.

Um pequeno trecho de um artigo sobre a cidade publicado no jornal inglês The Guardian:

“Para Kurokawa o local da nova cidade oferecia uma oportunidade única para realizar uma cidade verde, e de uma maneira simbólica, seu projeto deveria ajudar. Ele foi baseado numa interação entre urbano e natureza, com espaços verdes entre os edifícios. Propõe-se que a idéia de interdependência entre semear-brotar numa escala grandiosa deveria ser a prática futura.

O projeto foi solicitado em 2001, e Kurokawa morreu em 2007, mas sua cidade está lá agora, as vezes mais as vezes menos seguindo o projeto. Ela tem muitos parques e árvores. Chamada Astana, é o último exemplo de uma tipologia rara mas persistente, de se fazer uma capital a partir do nada. Nesse sentido é semelhante à São Petersburgo, Washington, Canberra, Ankara e Brasília, e como estes outros projetos, ele provoca uma pergunta: pode uma cidade, com toda a sua complexidade, realmente ser planejada?”

Mas um pouco mais além de um projeto urbanístico, o que torna Astana uma sensação é a vontade do presidente do país, Nursultan Nazarbayev, em tornar a cidade memorável, através de intervenções arquitetônicas que vem fazendo dela uma cidade com um quê futurista. O exemplo mais flagrante disto foi a construção do Bayterec, uma grande torre colocada num ponto estratégico da cidade, e cuja concepção é do próprio presidente.

A torre representa uma árvore do Casaquistão, que segundo a lenda local, é onde o pássaro mágico Samuruk abriga seus ovos de ouro, que são o símbolo da vida. Na esfera do topo foi impresso, em alto relevo, a mão do presidente. Sim, trata-se de um regime autoritário e centralizador, talvez hoje uma das mais fortes ditaduras do mundo.

Bayterec

foto colocada por Xhancock no Wikipedia

outra foto da Bayterec

foto de Antoine Lambroschini/AFP/Getty Images

Astana pode ser dividida em poucos setores. A parte norte da estrada de ferro, que cruza a cidade na direção leste-oeste, é industrial e tem também áreas residenciais de população de baixa renda. Entre a estrada de ferro e o Rio Ishim fica a área central, onde está ocorrendo atualmente uma grande atividade construtiva estimulada pelo governo. A oeste e a este ficam áreas residenciais de alta renda, com praças e parques e um novo complexo administrativo ao sul do rio Ishim. Lá muitas obras estão em andamento, como, por exemplo, a construção de um bairro de embaixadas, com diferentes tipos de edifícios governamentais. Em 2030 estes bairros deverão estar terminados.

foto de satélite de Astana

O atual planejador da cidade, Vladimir Laptev, tem a intenção de construir uma Berlim num estilo eurasiano. Os antigos edifícios que sobraram do período soviético estão sendo derrubados e em seu lugar estão sendo construídas novas estruturas, fazendo da cidade um grande canteiro de obras. E os projetos são de arquitetos internacionalmente famosos, como o próprio urbanista da cidade Kisho Kurokawa e Norman Foster.

“As construções ornamentais de Astana incluem uma pirâmide prateada de 62 m de altura, projetada pelo escritório inglês Foster + Partners, uns cones gigantes verde-dourados e uma esfera dourada que se projeta de uma estrutura de aço branco. A noite a pirâmide fica lilás, pink, verde e amarelo.

O último e tecnicamente mais ambicioso edifício adicionado à Atana é uma tenda transparente de 150m de altura, também projetada por Foster. Chamada de Khan Shatyr, um único mastro segura esse telhado, que oferece abrigo para um clima mais agradável a um complexo comercial e de lazer. O projeto segue uma estratégia conhecida de Foster, e que é semelhante a existente na Great Court do Museu Britânico, ou em seus aeroportos de Stansted, Hong Kong ou Pequim, e que é criar um impressionante e bem projetado telhado – algo para ser olhado e admirado, mas não para servir de abrigo – complementado por um baixo e menos ordenado espaço, local onde as atividades dos edifícios, nesse caso lojas e parques de recreação, realmente acontecem. Esse partido, inspirado nos domos geodésicos que o designer visionário americano Buckminster Fuller propôs para cobrir inteiramente as cidades, faz uma arquitetura dividida mas também muito interessante no local onde as duas zonas se encontram. O topo e o espaço ao nível do solo parecem vir de diferentes mundos.” (The Guardian)

A Pirâmide da Paz – Norman Foster

Foto Corbis

O Palácio da Paz e Reconciliação (ou simplesmente Pirâmide da Paz), de Norman Foster, foi inaugurada em Setembro de 2006. Ela tem espaços para as diferentes religiões: Judaismo, Islamismo, Cristianismo, Budismo, Hinduísmo, Taoísmo, etc. Ela também abriga uma sala de concertos para 1.500 pessoas, o museu nacional de cultura, uma “universidade da civilização”, uma biblioteca e centro de pesquisas sobre os vários grupos étnicos das várias regiões do Casaquistão.

um vitral com pássaros no interior da Pirâmide da Paz

foto Rowan Moore

Esta diversidade de atividades é unificada pela forma pura da pirâmide, que tem forma de um prisma ideal: 62 m de altura e 62 m x 62 m na base. O edifício foi concebido como um centro mundial para o entendimento religioso, para a renuncia à violência e a promoção da fé e da igualdade entre os homens. Esculpida no pálido azul do vidro e em ouro (cores da bandeira do Casaquistão), 200 delegados das principais religiões mundiais irão se reunir a cada 3 anos numa sala circular, inspirada na sala de reunião do Conselho de Segurança da ONU, em Nova York.

uma perspectiva da Pirâmide da Paz

Foto Foster + Partners

Khan Shatyry

Foto de Ismukhammed no Wikipedia

Em Dezembro de 2006 o presidente revelou seus planos para construir o Khan Shatyr (que significa mercado real), uma “gigante e transparente tenda” sobre um pedaço da cidade. Contratou o escritório de Norman Foster para isso. O edifício ficou pronto em Julho de 2010. Ele foi inaugurado como uma extravante celebração dos 70 anos de idade do presidente.

Vista da “tenda” de Foster

Foto de Nigel Young

A tenda, com 150 m de altura, tem uma base eliptica de 200 m, cobrindo uma área de 140 mil m². Sob a tenda, uma grande área se transformará num parque urbano interno, lojas e atividades de lazer estão voltadas para praças e ruas cobertas, e temos ainda um rio para prática de canoagem, um centro de compras, um mini campo de golf e um resort com uma praia em seu interior.

vista interna com o espaço central e os edifícios para as várias atividades

Foto de William Webster/Getty Images

O telhado foi construído com ETFE (um polímero) suspenso numa rede de cabos estirados a partir de uma coluna central. O material transparente permite que o sol passe através dele, e conjuntamente com o ar condicionado e o sistema de aquecimento foi projetado para manter uma temperatura interna entre 15 e 30º C no espaço central e entre 19 e 24º C nas lojas e áreas de lazer, enquanto que fora a temperatura, ao longo do ano, varia entre -35 e +35º C.

imagem do skycrapercity

Quando Nazarbayev contratou Foster para projetar o Palácio da Paz e da Reconciliação, ele disse que queria um edifício em forma de pirâmide, e ele deve ter sido o primeiro cliente de Foster que disse a ele como queria um edifício e foi obedecido. Algumas cidades são concebidas por um único homem. Há um memorial ao fundador de Astana, como o do Presidente Kubitscheck em Brasília, que é uma garantia faraônica de imortalidade e que contem coisas como a cadeira do escritório do avô de Nazarbayev num fórum de justiça local.

Há ainda o palácio presidencial, que é um edifício vertical que fica no mesmo eixo dos dois edifícios projetados por Foster, a tenda e a pirâmide, e a torre Bayterec. O palácio é uma versão da Casa Branca, coroada por uma cupúla azul, à moda oriental.

O palácio Ak Orda

foto de Amanante no Wikipedia

Ak Orda, nome que significa “Horda Branca”, foi construído em 2004 em concreto e tem 5 pavimentos. A fachada foi recoberta de placas de mármore italiano. Tem 36.720 m², e inclui uma sala projetada como uma yurta de mármore e granito, uma sala em mármore para reuniões e encontros com representantes de outros países em visita oficial, e uma sala dourada para negociações e discussões privadas entre o presidente e os líderes de outros países. É um edifício impressionante.

Mas há muito mais lá. Temos ainda, por exemplo, a sala de concertos Casaquistão Central,concebida e projetada pelo arquiteto italiano Manfredi Nicoletti. Ela foi inaugurada em Dezembro de 2009.

Sala de Concertos

foto de Elena Giussani na wikipedia

Ou o projeto de urbanização da margem do Rio Ishim, em Astana.

foto de Vmenkov na Wikipedia

“Como as cidades do Golfo Pérsico, Astana flutua numa exalação de petrodólares. Como as cidades do Golfo ou as novas cidades chinesas, como Shenzhen inspira sonhos mas que afinal estão acontecendo, e ainda que tenha alguns edifícios muito feios, ela tem um grande senso de ordem. Ao nível da rua, Dubai, por exemplo, é um grande congestionamento. Aqui tem-se cercas vivas bem aparadas, tráfego sobre controle, pavimentos bem conservados e limpos, e não existem sinais visíveis de prostituição, viciados em drogas ou pedintes. Neste sentido lembra a “limpeza” de Singapura.” (The Guardian)

foto de Rowan Moore

Resta saber o que virá depois. Uma cidade que expressa somente uma visão, quase uma cenografia planejada por um só homem, pode abrigar a vida de milhares de diferentes pessoas e raças?

O edifício Kay Munay Gaz

foto de Robert Harding Picture Library L/Alamy

árvores falsas de metal e lâmpadas coloridas

Foto de Rowan Moore

para ler mais:

Clique aqui para o artigo do The Guardian (em inglês)

Clique aqui para ler sobre Astana na Wikipedia

Clique aqui para ler um artigo sobre a pirâmide de Foster em Astana (em inglês)

Um pensamento sobre “Astana – a capital do Casaquistão

  1. Uma maravilha de informação, é uma pena que em um lugar belo e rico, ainda existam pessoas de baixa renda.
    Porque?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s