Fonte: Foster + Partners

Cidades Sustentáveis: quando o petróleo gera energia limpa


Existem duas formas de fazermos com que nossas cidades sejam sustentáveis. Uma delas, a mais difícil, é fazer alterações nas cidades em que vivemos e que foram construídas sem preocupações com o aproveitamento e reaproveitamento dos recursos naturais e que, na maior parte do planeta, ainda são cidades desiguais, segregadas, não inclusivas.

A segunda forma é começar do zero. Construir uma cidade cuja concepção inicial seja a sustentabilidade. É isso que você verá nesse post e no próximo, quando falarei um pouco de cidades que vem sendo construídas com esse propósito.

Masdar City - Maquete Fonte: Foster + Partners

Masdar City – Maquete
Fonte: Foster + Partners

A “cidade” de Masdar, é na verdade um bairro da capital dos Emirados Árabes Unidos, Abu Dhabi. Esta sendo construída ao lado do aeroporto da cidade, na planície desértica que caracteriza toda aquela área e o projeto foi elaborado pelo escritório britânico Foster + Partners, de Norman Foster. Concebida para ser um laboratório de tecnologias “limpas” e para emitir Zero Carbono, a cidade é um empreendimento privado, ainda que a maior parte dos recursos que estão sendo investidos venham do governo da cidade.

Ela também recebeu apoio de países e instituições, como o governo dos Estados Unidos, o World Wide Fund for Nature e o Greenpeace. Esse apoio é inclusive no desenvolvimento tecnológico, pois um dos poucos edifícios já construídos no local, o Masdar Institute, uma instituição de ensino e pesquisa, é de fato um “campus” do MIT (Massachusetts Institute of Technology), que reúne estudantes e professores em sua maioria de outros países, da América, Europa e Ásia.

Masdar Institute Fonte: site oficial da cidade

Masdar Institute
Fonte: site oficial da cidade

Iniciada em 2006, com um custo estimado de 22 bilhões de dólares,  a cidade estava prevista para ser concluída em oito anos, sendo que a primeira fase deveria ter sido concluída em 2009. Contudo a crise bancária atrapalhou esses planos e esta primeira fase está agora prevista para ser concluída em 2015. O que já foi construído são 6 edifícios principais, que contém 101 pequenos apartamentos, uma grande biblioteca eletrônica e o Masdar Institute.

O plano urbanístico projeta uma cidade que ocupa 6 km² de área, e tem entre 45.000 a 50.000 pessoas e 1.500 empregos, ocupações que espera-se sejam criadas no comércio e na produção de mercadorias ecológicas. É interessante que a “cidade” é um pouco menor do que a cidade-jardim proposta por Ebenezer Howard, no início do século 20.

Segundo Foster + Partners,

” O empreendimento foi dividido em dois setores, ligados por um parque linear, e será construído em fases, começando-se pelo setor principal. O plano foi pensado para ser extremamente flexível e permitir que se utilize tecnologias novas e que a partir da sua implementação na primeira fase se possa aprender para o desenvolvimento das próximas. A expansão foi pensada antecipadamente para que se evite um crescimento periférico que ocorre em muitas cidades. Ainda que o projeto de Masdar seja uma resposta específica ao local onde será implantada e a seu clima, os princípios básicos são aplicáveis em qualquer parte do globo. Neste sentido ele é um modelo para outras cidades sustentáveis a serem construídas no futuro”

Perspectiva de uma praça Fonte: Foster + Partners

Perspectiva de uma praça
Fonte: Foster + Partners

Praça construída no Masdar Institute Fonte: site oficial da cidade

Praça construída no Masdar Institute
Fonte: site oficial da cidade

E quais são estes princípios? Vejamos:

  • Orientação — buscando a máxima eficiência com o menor custo, através da otimização da orientação das ruas da cidades de tal forma que minimize a incidência solar durante o dia e maximize as brisas que sopram a noite e podem resfriar a cidade.
  • Integração  — todas as atividades da cidade são integradas, trabalho, lazer e entretenimento e moradia estão projetados próximos, para criar um local agradável e muito utilizado e minimizar o uso de transporte público.
  • Edifícios baixos com alta densidade – a maioria dos edifícios não tem mais do que 5 pavimentos
  • Vibrante espírito urbano – o maior foco na cidade foi colocar espaços públicos entre os edifícios, e no interior dos edifícios, fazendo com que as praças e as ruas convidem as pessoas para interagir com outros moradores.
  • Foco no pedestre – isto significa ruas estreitas e sombredas, agradáveis calçadas e outras passagens que convidem ao andar. Ainda a mistura entre as diversas atividades também faz com que as pessoas prefiram andar, por que tudo é muito perto.
  • Boa qualidade de vida – a cidade foi pensada para oferecer altíssima qualidade de vida com o mínimo de “pegada ecológica“.

Mistura de usos, edifícios baixos mas com alta densidade populacional… Com uma boa infraestrutura de transporte, Masdar se liga aos outros bairros e ao aeroporto pela estrada já existente e também por transporte sobre trilhos. Ela será operada sem a utilização de veículos movidos a energia fóssil. Existem conexões com meios de transporte rápido a cada 200 metros, encorajando que se ande a pé, enquanto que ruas sombreadas e praças garantem conforto contra o clima que tem temperaturas extremas.

Zoneamento do Plano Urbanístico

Zoneamento do Plano Urbanístico

Na cidade foi proposto um sistema de transporte pessoal rápido em carros elétricos (PRT- já existente no aeroporto de Londres, por exemplo), sendo que os carros utilizados em Masdar estão sendo desenvolvidos de forma experimental pela Mitsubishi.

Os recursos energéticos estão sendo construídos de várias formas. Junto com a finalização da primeira fase, deverá ficar pronta uma usina solar que irá gerar de 40 a 60 MW de energia, que serão complementadas posteriormente por painéis solares que serão instalados nos telhados das construções aumentando a geração para 130 MW suficientes para abastecer toda Masdar. Mas outras formas de produção de energia estão sendo pensadas, como a construção de uma fazenda de moinhos de vento.

Já foi instalado na praça do Masdar Institute um túnel de vento, que ajuda a refrigerar o ambiente.  Com reutilização da água, controle do uso de energia e de recursos naturais em tempo real e de cada habitante, a cidade tem tudo para se mostrar um modelo de sustentabilidade e também ser uma nova forma de controle da população, que poderá ser advertida a cada vez que gastar mais recursos naturais do que deveria.

A seguir, mais imagens do Masdar Institute, trecho já pronto, e do projeto de Norman Foster

image004 image009 image013 image014  img4 img5 img6img3 Fonte: Foster + Partners

Para saber mais, acesse:

Site Oficial de Masdar City

Site de Foster + Partners

Reportagem do jornal inglês The Guardian

Um post no blog de Laura Stupin, uma engenheira americana que mora na cidade

Ou baixe aqui o folder da cidade

Para ler o outro post do blog sobre projetos de cidades sustentáveis clique aqui

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s